Artcom

Comunicação que tudo vende

Que diabos está acontecendo com a publicidade?

Algum tempo atrás durante uma festa ouvi, de forma despretensiosa, essa pergunta.

Antes de conseguir responder, as pessoas que estavam na mesa começaram a palpitar sobre o assunto, incluindo indagações sobre como as pessoas ganham dinheiro sendo ‘digital influencer’, youtubers e de blogues.

Na mesa apenas eu era publicitário, e me silenciei até que em certo ponto uma pergunta dirigida a minha pessoa quebrou todas as vozes e por um breve instante ficaram todos em silêncio: “Vocês sabem que diabos está acontecendo para as pessoas ficarem loucas na internet?”.

Poderia ter falado dos vários dados que as publicações especializadas diagnosticaram, explicar o que os vários teóricos da comunicação escreveram sobre essa “revolução” ou, simplesmente, citar a modernidade líquida de Zygmunt Bauman. Mas, respondi de forma direta: “Nem nós sabemos o que está acontecendo”. A minha geração, que é a Z – nascida entre 1991 a 2000 -, é a ‘beta tester’ de todas essas inovações e a geração seguinte, a Y e Z,  apenas pega o resultado dos testes. Sem entenderem, complementei: “Tudo é muito recente e rápido”.

A minha geração está aprendendo, ajustando e estudando para daqui a algum tempo considerar essa situação normal. Enquanto isso não acontece, seguimos nessa loucura de nos adaptarmos a youtubers, influenciadores, famosos de reality show e chatbots que prometem substituir médicos”.

E é verdade quando digo que não sabemos o que está acontecendo com a publicidade, pois, hoje, a velocidade da informação é quase instantânea e não conseguimos lidar com esse fluxo. Sabemos que tudo que estamos experimentando agora pode, daqui a alguns anos, sumir, como a febre dos mp3s. É possível que isso venha a evoluir e se tornar ferramenta importante para o sucesso de pequenas e grandes empresas, como é o caso do Google Adwords, que foi criado em 2000 e é um instrumento relevante para quem trabalha com marketing digital.

Enquanto ainda não descobrimos como, por que e de onde saem essas ondas de informações, oportunidades e perigos. Neste caso continuamos cada dia estudando mais e aprendendo a lidar com toda essa loucura que nos atinge diariamente para, quem sabe, entendermos o que os novos tempos nos reservam.

Autor: Hector Caliman

Comentários

comentários