Artcom

Comunicação que tudo vende

ANARCRIA!

Você já leu aquele artigo que diz que “pessoas bagunceiras têm um Q.I. maior?” Então leia este aqui também.

Sabe aquela história que toda hora passa na sua timeline em uma matéria dizendo que pessoas bagunceiras e bla bla bla são mais inteligentes e bla bla bla? Então… você provavelmente não é o(a) único(a) a se achar o(a) próximo(a) Einstein quando lê. Eu, por exemplo, quando me deparo com uma dessas já começo a me achar um híbrido de Einstein, Zuckerberg, Hawking e mais um figurão à sua escolha. Claro, sei que não sou o único a me achar assim e também sei que hoje os que se identificam já não são mais minoria. O que nos leva a poucas e boas questões: por que será que existe tanta gente bagunceira nesse mundo? E porque isso parece se tornar uma crescente sem precedentes?

A resposta para isso é bem próxima e muito simples: são os novos tempos. Hoje vivemos com muito mais informação que há uma semana, um ano ou cinco anos atrás. E amanhã teremos ainda mais do que hoje, seja lá quando for o amanhã. Isso nos leva a pensar em mais coisas e estabelecer prioridades com prazos de validade cada vez mais curtos. Por muitas vezes a confecção de um novo projeto acontece antes mesmo de se concluir o anterior. E isso cria uma bola de neve de afazeres e de coisas para se pensar que tornam até o mais organizado dos cotidianos uma boa bagunça.

O novo grande desafio do profissional de publicidade (e de qualquer outro profissional) está em aprender a viver no caos e reordenar demandas, dando um jeito de atender a todas elas em um curto período de tempo. Até a pouco tempo tínhamos bons prazos para pensar em determinamos meios de comunicação. Mas os novos tempos multiplicaram os meios, formatos e possibilidades, comprimindo o tempo de entrega de semanas para dias e aumentando a quantidade de peças entregues. Ou seja: temos muito mais o que fazer com cada vez menos tempo a perder. A Big Idea se torna cada vez mais sinônimo de eficiência e linearidade e não apenas o velho conceito de criatividade original.

Vencer esse desafio não é fácil. É necessário criar uma cultura de sinergia entre as equipes e, principalmente, confiança entre seus componentes. Precisamos estar em constante compartilhamento de informações, novidades, experiências e referências. Existe um novo jeito de fazer e novos resultados a se alcança. E ainda não existe a fórmula mágica de se fazer propaganda, mas o que temos cada vez mais certeza é que o que se modifica dia após dia não é o resultado final (a propaganda), mas os meios e processos que existem hoje para gerar uma campanha efetiva.

Bagunça é uma condição natural para quem vem dos novos tempos e ela já deixou de ser um aspecto negativo do trabalho faz tempo. Vivemos uma realidade onde as subjetividades têm cada vez mais voz e, não raro, vemos dia após dia o surgimento de novos e muitos gênios (Valeu, Andy Warhol!). Portanto, que fique bem claro: Einstein, Zuckerberg, Hawking e mais um figurão à sua escolha que se cuidem porque a gente já tá pegando a manha da coisa e em breve estaremos aptos a abrir vagas para o I Workshop de Bagunça ou escrever o Guia Definitivo de Como Ser Feliz na Bagunça.

Aguarde.

Como sempre, será imperdível.

Autor: Jorge Pedrosa

Comentários

comentários